2 thoughts on “Como a paz está sendo torpedeada na Europa

  1. Citando:

    O príncipe Adam Jerzy Czartoryski morreu no exílio em Paris, e o general Pilsudski também estabeleceu a sede de seu movimento Prometeísta em Paris. Em 1945, a memória desse período levou à criação de uma rede de emigrantes da Europa Central que trabalharam primeiro para o Vaticano, depois para os serviços secretos franceses, e finalmente para os anglo-saxões. Esta rede, também chamada Intermarium, reuniu os principais líderes – em fuga – da Ustacha húngara, a Guarda de Ferro romena e as outras formações que haviam colaborado com os nazistas da Europa Central.

    [Apenas um monte de bandidos (entreguistas) que fugiram para o Ocidente, nunca tiveram nenhum projeto para o país deles, só queriam saber de dinheiro ocidental].

    Citando [Editado]:

    Aqueles que pressionam os EUA a apoiar o projeto Intermarium são precisamente figuras de extrema direita (sionistas e neocons)…

    Antecedentes:

    Os sionistas inventaram o “mito da raça batava” para justificar a guerra de independência dos países baixos contra a Espanha, a Guerra dos Oitenta Anos.

    Os sionistas inventaram o “mito da raça ariana ucraniana”, para justificar a russofobia (ódio contra a Rússia e o povo russo).

    Observação:

    Os alemães já foram derrotados na Europa e agora estão invadindo o Paraguai, com intenção de colonizar (Lebensraum).

    Conclusão:

    Nem, nem…

    Esse projeto é uma piada, não passam de palavras bonitas, para esconder uma tentativa de “espaço vital sionista”. Todos esses países estão infestados de sionistas e fornecem “escravas brancas” para os prostibulo da entidade sionista.

    Napoleão Bonaparte já sabia quem estava “erodindo a soberania do Báltico”.

    1. Realmente essa “nova teoria” é apenas revisionismo histórico dos sionistas.

      Essa parte de “prisão de nações” é a única parte dos brancos anglo-saxões nessa história.

Deixe uma resposta