3 thoughts on “Diante das sanções, capital se faz em casa

  1. Marcas construídas com muita propaganda em todo o mundo, instrumento poderoso do imperialismo norte-americano do pós guerra, prefiro o lanchão da esquina feito na minha frente, ou a de casa boa e barata.

    1. A questão é exatamente que toda a fortuna que gastaram com propaganda na Rússia (URSS) terminou revertendo-se em favor da empresa nacionalizada.

      Na terra dos gringos existem até os “mc donald’s de mendigos”. Na Rússia não chega nesse ponto, mas deve ser algo bem mais popular.

      Realmente essas grandes empresas não conseguem fazer sucesso no Brasil, principalmente por causa do “lucro em dólar” que eleva muito o preço. A maioria das pessoas, inclusive eu, quando tem que comer fora prefere as pequenas lanchonetes ou até os vendedores (individuais) que carregam os lanches na cabeça ou numa bicicleta cargueira. Levar um lanche de casa também costuma valer a pena.

  2. Uma observação interessante é que a mentalidade “parasitária” está contaminando o mundo corporativo e está destruindo o capitalismo por dentro. Não é questão de um lunático (achar absurdo investir em algo produtivo) ou um abutre (que quer apenas quebrar a empresa para vender como tudo como sucata). Sempre vai existir esse tipo de gente, o problema é que já chegou num percentual que incomoda.

    Outro dia uma grande empresa de tecnologia (propositalmente não vou especificar) não conseguiu aprovar a construção de uma nova fabrica na Malásia pois tinha um monte de “investidores” lunáticos na reunião. Esse “investidores” lunáticos que não sabem nem o que é demanda reprimida e só pensam em ganhos imediatos devem ter estudado em Harvard.

    Sinceramente esse negócio de abrir o capital só vale a pena se a empresa for uma bomba que você não quer que exploda na sua mão.

Deixe uma resposta