Terroristas estão tentando um golpe de guerra híbrida no Cazaquistão

Por Andrew Korybko

O que inicialmente eram apolíticos, mas não autorizados (portanto ilegais), protestos no Cazaquistão contra a remoção planejada pelo governo dos subsídios aos combustíveis, que fizeram com que os preços dobrassem no espaço de poucos dias, se transformou em uma tentativa de golpe de Guerra Híbrida. Isso é indiscutível, depois que os manifestantes originais conseguiram tudo o que queriam e o presidente Kassym-Jomart Tokayaev reimplantou temporariamente controles de preços de combustível e em outras commodities sociais, mas os protestos ainda assim continuaram.

De fato, eles se tornaram mais violentos quando multidões de indivíduos invadiram alguns edifícios do governo e lojas de armas, desarmaram e detiveram membros das forças de segurança, e assim se expuseram como típicos agentes de Revoluções Coloridas. Isso significa que aqueles que participam dessas atividades ilegais são movidos por motivações anti-Estado, pretensamente anarquistas, a fim de realizar um golpe no Cazaquistão por meio de meios terroristas que se assemelham sinistramente aos utilizados durante a onda de terrorismo urbano popularmente conhecida como “EuroMaidan”, na Ucrânia, e, mais recentemente, na Bielorrúsia.

Também merece menção o oligarca fugitivo Mukhtar Ablyazov, atualmente na França em “asilo político”, que havia pedido mais protestos, segundo a Rádio Europa Livre/Rádio Liberdade, órgão de mídia financiado pelo governo dos EUA. Isso sugere que sua rede de influência pode estar por trás da onda contínua de terrorismo anti-estatal, considerando suas motivações de interesse próprio em derrubar o governo a fim de posteriormente tomar o poder ele mesmo. Sua organização proibida “Escolha Democrática do Cazaquistão” quer transformar a república presidencial do país em uma república parlamentar.

Os últimos relatos vindos do Cazaquistão sugerem que um apagão na internet em todo o país precedeu o compromisso do presidente Tokayev de permanecer na capital e sua promessa de uma resposta “dura” aos desordeiros. Ele também disse que assumiu o controle do Conselho de Segurança Nacional. Ao liderar a resistência aos protestos, Tokayev está mostrando força diante dessa crise nacional sem precedentes. Ele sabe que os terroristas anti-Estado não representam a vontade da maioria, pois esta está muito assustada com o que está acontecendo. Os serviços de segurança provavelmente tentarão recuperar o controle total da crise até hoje à noite.

Enquanto isso, é importante estar ciente das próximas fases prováveis da Guerra Híbrida em curso no Cazaquistão. Antes de descrevê-las, deve-se ter em mente que o governo dos EUA não tem o monopólio dessas táticas e estratégias, razão pela qual pode não estar dirigindo os eventos nesse caso em particular. Essas tecnologias políticas proliferaram ao ponto de praticamente qualquer grupo de interesse poder empregá-las, especialmente oligarcas fugitivos como Ablyazov. Isso não significa automaticamente que ele esteja fazendo isso a mando dos Estados Unidos, mesmo que estes tentem tirar proveito disso mais tarde.

Tendo em mente esses esclarecimentos, a escalada da Guerra Híbrida mais imediata que pode ser prevista é informacional, particularmente com respeito à publicação de notícias falsas sobre os últimos eventos. O blackout da internet foi provavelmente imposto para cortar a capacidade de comunicação dos terroristas, com os quais eles contavam para organizar seu enxame de vários sites na cidade de Almaty e em outros lugares do país. Seja como for, a mídia estrangeira pró-OTAN e possivelmente alguns setores das forças governamentais provavelmente alegarão que o objetivo é “encobrir os crimes do governo”.

As autoridades cazaques fariam bem em filmar completamente tudo o que fazem durante o apagão da internet, para mais tarde liberar suas filmagens para a mídia, a fim de confirmar que não são cúmplices de quaisquer crimes dos quais previsivelmente serão acusados. Isso também poderia provar que os chamados “manifestantes pacíficos pró-democracia desarmados” eram na verdade violentos terroristas armados anti-Estado. Isso é crucial quando se trata de corrigir as percepções internacionais sobre essa crise e a resposta do Estado cazaque.

Sobre a questão das notícias falsas, já há especulações sendo espalhadas na mídia social por forças opositoras alegando que a Rússia já enviou assistência de segurança ao Cazaquistão, apesar da negativa do porta-voz presidencial Dmitry Peskov, e que o Kremlin pode até estar considerando a “anexação” dos cantos majoritariamente habitados por russos daquele país. Esses falsos relatos têm o objetivo de provocar forças ultranacionalistas para atacar seus compatriotas minoritários russos, a fim de catalisar uma crise de segurança internacional real entre a Rússia e o Cazaquistão.

Outros relatos falsos afirmam que a elite está fugindo do país, o que se assemelha às falsas alegações que foram feitas no início de novembro de que a elite etíope estava fazendo o mesmo durante o auge da crise da Guerra Híbrida de seu próprio país. Esses rumores têm a intenção de provocar fúria entre a população, que pode ser enganada ao pensar que uma chamada “elite corrupta” está “fugindo do país” com “o dinheiro do povo”. Tal falsa percepção pode encorajar as pessoas a participarem da onda contínua de terrorismo urbano, inclusive como “escudos humanos” voluntários para proteger os desordeiros da polícia.

Não se pode ter certeza, mas alguns países também podem, em breve, ameaçar impor sanções específicas contra autoridades cazaques e a membros dos serviços de segurança sob o falso pretexto de que são “antidemocráticos” e de que “violaram os direitos humanos” dos “manifestantes pacíficos desarmados”. Isso representaria uma escalada internacional dessa crise destinada a legitimar outros atos de terrorismo naquele país. No entanto, aqueles governos que fizerem quaisquer movimentos sérios nessa direção estariam imediatamente destruindo suas relações com o Cazaquistão, sendo melhor pensarem duas vezes antes de fazer isso.

A Guerra Híbrida no Cazaquistão está em curso, muito fluída, e tudo poderia mudar inesperadamente, mas o objetivo da presente da análise é provar que os últimos eventos são de fato uma tentativa de golpe de Guerra Híbrida por terroristas anti-Estado, mesmo que não esteja claro neste momento exatamente com quais redes eles estão associados. Os observadores honestos que sinceramente querem entender esta situação em rápida evolução devem abster-se de especular sobre ela, especialmente a respeito da resposta russa no pior dos cenários, para que não deem, involuntariamente, combustível aos idealizadores nessa guerra de informações.

Publicado em One World em 05.01.2022.

Tradução JORNAL PURO SANGUE.

Deixe uma resposta