O Telegram e a privacidade dos dados nas redes

Do Canal de Pavel Durov, criador do app Telegram

Um relatório recente provou que o Telegram cumpre sua promessa de manter os dados do usuário privados, enquanto aplicativos como o WhatsApp fornecem dados do usuário em tempo real a terceiros e, apesar de suas inúmeras alegações sobre “criptografia E2E”, também podem divulgar o conteúdo da mensagem.

O relatório confirmou que o Telegram é um dos poucos aplicativos de mensagens que não quebra a confiança de seus usuários.

Eu não estou surpreso. A maioria dos outros aplicativos não poderia garantir a privacidade de seus usuários, mesmo que eles quisessem. Como seus engenheiros residem nos EUA, eles precisam implementar secretamente backdoors em seus aplicativos quando o governo dos EUA ordenar. Se um engenheiro falar publicamente sobre isso, pode ir para a prisão por violar uma ordem de silêncio.

Na maioria dos casos, as agências nem mesmo precisam de uma ordem judicial para extrair informações privadas de aplicativos de mensagens como o WhatsApp e, em outros casos, os documentos judiciais são envoltos em sigilo. Alguns aplicativos supostamente seguros foram financiados por agências governamentais desde o início (por exemplo, Anom, Signal).

Por muitos anos, a National Security Agency (NSA), órgão do Deep State estadunidense, tem garantido que os padrões internacionais de criptografia estejam em linha com o que a NSA pode decifrar, e todas as outras abordagens de criptografia são rotuladas como “fora do padrão” ou “caseiras”. Por meio de seus proxies na indústria de criptografia (como esta), a NSA impôs padrões falhos à criptografia usada pelo resto do mundo, prevenindo todos os outros de “lançar sua própria criptografia”.

Não é à toa que os aplicativos dos EUA, como o WhatsApp, estão infestados de backdoors – brechas de segurança plantadas intencionalmente que os governos (e qualquer outra pessoa) podem usar para hackear smartphones e extrair dados privados das pessoas.

Ouvi dizer que nossos concorrentes sediados nos Estados Unidos estão frustrados por não conseguirem acompanhar o crescimento do Telegram, apesar de investirem pesadamente em marketing (algo em que o Telegram nunca teve que investir). Mas, para acompanhar nosso crescimento, eles precisam primeiro garantir que suas ações correspondam às afirmações de marketing. Até então, as violações de dados e problemas de segurança em seus aplicativos, infelizmente, permanecerão inevitáveis.

Deixe uma resposta