Conheça Benedito Meia-Légua, um dos heróis dos negros brasileiros

Por Iniciativa Brasília

Benedito Caravelas era um escravo nascido na Villa Nova do Rio de Sam Matheus. O apelido Meia-Légua veio de suas várias viagens ao Nordeste. Suas qualidades de líder, sua coragem e sua astúcia transformaram-no em símbolo de esperança de libertação para os escravos da região Norte do Espírito Santo.

Em um das várias vezes em que foi preso, Benedito chegou a São Mateus amarrado pelo pescoço, sendo puxado por um capitão do mato montado a cavalo. Os negros que foram presos junto a ele foram obrigados a surrá-lo. Dado como morto, seu corpo foi entregue aos escravos para providenciarem seu sepultamento no Cemitério dos Escravos, na Cachoeira do Cravo. Deixaram seu corpo na Igreja de São Benedito e ficaram de fora rezando. No outro dia, quando entraram na igreja, não encontraram o corpo, mas apenas as pegadas com marcas de sangue. A partir dai surgiu a lenda de que Meia-Légua era protegido de São Benedito, pois andava com uma pequena imagem do santo em um embornal.

O bando de Benedito Meia-Légua saía sempre em pequenos grupos, sendo que cada grupo tinha um líder que mantinha sempre as características suas, a fim de confundir os perseguidores. Com tal artifício, Meia-Légua e seus companheiros conseguiram se manter durante quarenta anos, sempre perseguidos, mas nunca capturados. Quando era noticiada sua morte, ele reaparecia em outra localidade fazendo novas investidas. Graças a isso, espalhou-se o mito de que era imortal.

Velho, doente e mancando de uma perna, só foi morto por ter sido traído por um caçador, que denunciou as tropas seu esconderijo, sendo este o oco de uma árvore, onde sempre dormia. Aqueles que o perseguiam montaram tocaia em volta do tronco e ali ficaram até a noite, esperando que ele se recolhesse para dormir. Logo que o viram entrar, taparam o tronco e lhe atearam fogo, que ardeu durante dois dias e duas noites.

Benedito foi um dos heróis que lutaram contra um sistema que deveria ter sido abolido há muito tempo, mantido apenas pelo capricho dos caudilhos e da classe política. Foi sem dúvida um grande herói do povo negro, e símbolo da luta contra as injustiças impostas pelas elites governamentais.

Deixe uma resposta