Banco Central independente e as perdas internacionais

O Congresso Nacional aprovou em fevereiro deste ano a independência do Banco Central. Apesar do discurso oficial do governo de “melhoria das expectativas”, o que tem se visto desde então é a deterioração do real frente ao dólar e o aumento da inflação. Ainda que o Procurador-Geral da República interpelasse o STF em um vício no projeto de lei que deu origem à independência do Banco Central, os ministros confirmaram a decisão do Congresso. De qualquer forma, desde então o Banco tem aumentado de forma acentuada as taxas básicas de juros.

Com a desvalorização do real e aumento dos preços das commodities, tem havido um saldo considerável na balança comercial. Em outros tempos, esse saldo contribuiria para a valorização da nossa moeda, mas o mesmo Banco Central “independente” permite agora que brasileiros tenham contas em dólar, de modo que o saldo dos grandes exportadores não se convertam em reais, mas fiquem guardados em dólar.

Nesse esquema, de pouca ajuda está sendo o nosso superavit de importações, necessário para o crescimento e desenvolvimento necessário da nossa economia. A desvalorização da moeda impacta na inflação, prejudicando a grande maioria do povo, e torna os ativos brasileiros, o nosso patrimônio posto à venda, mais baratos para o estrangeiro. Ao mesmo tempo, sob o argumento nem um pouco convincente de combate à inflação, o Banco Central vai protegendo os mais poderosos, garantindo os ganhos com rendimento em renda fixa com o aumento dos juros, diante do derretimento da Bovespa.

Consta que Bolsonaro parece ter se arrependido de ter concedido à independência do Banco Central, mas pouco pode fazer, agora que entregou o comando do governo a Michel Temer e ao Centrão, desde a “fraquejada” que se sucedeu ao 7 de setembro. O que resta a ele é contar com a boa vontade de Paulo Guedes no ano que vem, apesar de que Temer, ao contrário de Jair, não se importa com popularidade.

Diante desse quadro, nunca a expressão “perdas internacionais”, usada por Leonel Brizola, fez tanto sentido.

3 comentários sobre “Banco Central independente e as perdas internacionais

  1. DEPOIMENTO DE BRUNA MORATO NA CPI DA COVID-19 SOBRE O CONLUIO DE MÉDICOS NA PREVENT SÊNIOR FORTALECE DOCUMENTÁRIO DA TV 247 SOBRE A FALSA FACADA EM BOLSONARO, REFORÇA A SUSPEITA DE MÁ FÉ NA EXPULSÃO DOS MÉDICOS CUBANOS DO BRASIL E DO COMPLÔ DAS VACINAS CONTRA O VÍRUS:
    https://www.youtube.com/watch?v=yuy2eqTvN0k

    Lembrando que morrem mais pessoas por erro médico que por automedicação no país. E se é assim com os médicos, o que dizer dos veterinários?

Deixe uma resposta