Sudeste teve a gasolina mais cara do país em junho

Valor por litro do combustível avançou 26,59% no primeiro semestre do ano.

De acordo com o mais recente levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL), os postos da Região Sudeste registraram a gasolina mais cara do país em junho. Com alta de 1,10% em relação a maio, e de 26,59% se comparado com dezembro de 2020, o litro do combustível foi comercializado à média de R$ 5,966, neste último mês. O etanol, por sua vez, avançou 35,53% no primeiro semestre, e foi encontrado a R$ 4,879.

Mais uma vez, São Paulo foi o estado com os preços mais baixos para os combustíveis. A gasolina nos postos foi comercializada a R$ 5,494; o etanol, a R$ 4,222; o diesel comum, a R$ 4,497; e o diesel S-10, a R$ 4,543. O etanol e a gasolina mais caros foram encontrados no Rio de Janeiro, a R$ 5,427 e R$ 6,309, respectivamente. Em Minas Gerais, o diesel e o diesel S-10 foram comercializados pelos valores mais altos: o tipo comum à média de R$ 4,679 o litro, e o tipo S-10, a R$ 4,729.

No Espírito Santo foi encontrado o gás natural veicular (GNV) mais caro da região, a R$ 4,094. Na média do Sudeste, o combustível foi comercializado pelo valor médio de R$ 3,877, o metro cúbico.

O estudo também analisou o comportamento dos preços nas rodovias e na Presidente Dutra, os combustíveis em São Paulo foram comercializados por valores médios por litro abaixo dos encontrados no Rio de Janeiro. Nos postos paulistas, o diesel foi encontrado pelo preço médio de R$ 4,444; o diesel S-10, a R$ 4,493; e a gasolina, a R$ 5,434. No Rio de Janeiro, o diesel comum foi encontrado a R$ 4,538 em média; o tipo S-10, a R$ 4,576; e a gasolina, a R$ 6,380. Na Fernão Dias, São Paulo também apresenta valores menores que em Minas Gerais. O diesel foi comercializado nos postos paulistas a R$ 4,389, e nos mineiros, a R$ 4,580. O diesel S-10 em São Paulo foi encontrado a R$ 4,432, e em Minas Gerais, a R$ 4,646. Por fim, a gasolina apresentou preços médios de R$ 5,465 (SP) e R$ 6,074 (MG).

Outro levantamento aponta que o preço médio do diesel, de R$ 4,730 em junho, está 23% acima do registrado no fechamento de dezembro de 2020. Em relação ao tipo S-10, a alta é de 22,7% nesse primeiro semestre do ano, e o combustível foi comercializado a R$ 4,783 no último mês.

No recorte entre as regiões, o diesel S-10 recuou 0,07% no Sul, e foi encontrado pelo menor preço nos postos da região, a R$ 4,405. O diesel comum também foi comercializado pelo valor médio mais baixo por lá, a R$ 4,366, após aumento de 0,14%.

As maiores altas foram registradas no Nordeste, onde o tipo comum avançou 1,22% em relação ao fechamento de maio, e o tipo S-10, 1,21%. As maiores médias de preços, por sua vez, estiveram na Região Norte. Nos postos nortistas, o diesel comum foi encontrado a R$ 4,947, e o diesel S-10, a R$ 5,005. O Acre, mais uma vez, é o estado que registrou os preços médios mais altos. O diesel comum foi comercializado a R$ 5,709, e o tipo S-10, a R$ 5,647. No Rio Grande do Norte, os postos apresentaram o maior aumento de preços do tipo comum, de 2,58%, e na Bahia, a alta mais significativa para o diesel S-10, de 2,58% na comparação com o fechamento de maio. No Paraná, tanto o diesel comum quanto o S-10 foram comercializados pelo menor preço médio entre os estados, a R$ 4,308 e R$ 4,343, respectivamente. No Amapá, ambos os combustíveis apresentaram o maior recuo do país, de 1,11% no preço médio por litro do tipo comum, e de 2,52% no caso do tipo S-10.

Com informações Monitor Mercantil

Deixe uma resposta