Sobre a operação no Jacarezinho

Por Felipe Quintas.

Não vi OAB, grupos de Direitos Humanos, Rede Globo e a lacrolândia parlamentar se solidarizando com as vítimas fatais e não fatais do atentado a facas em Santa Catarina, mas os vi entrando em surto histérico com o abate dos vagabundos e psicopatas do Comando Vermelho que estavam aliciando crianças e jovens para as suas fileiras e expulsando barbaramente os moradores de suas casas (em plena pandemia!).

É óbvio. Enquanto o narcotráfico sustenta o sistema financeiro, que por sua vez sustenta toda essa cambada identitária e bandidólatra, mais unida do que nunca para saquear o Brasil e entregá-lo de bandeja aos centros capitalistas mundiais, os bebês e as professoras de Santa Catarina, bem como seus familiares, amigos etc., são um estorvo para esse sistema de poder.

A narco-oligarquia financeira-identitária não gosta das pessoas simples que vivem, trabalham e estudam honestamente, daí que ela não apenas tira seus direitos, garantias etc. mas continuamente as difamam, chamando-as de nazistas, conservadoras, retrógradas etc., ainda mais se foram brancas e sulistas, porque nem para matéria-prima de lacração servem.

O que a narco-oligarquia gosta é de meliantes, não apenas porque se identifica com eles e é feita da mesma matéria deles, mas porque são eles os peões da indústria das drogas, do vício, do contrabando, do malfeito, que é a única indústria que esses canalhas permitem ter no Brasil.

As matérias jornalísticas e a atuação política cada vez mais escrachadas a favor da bandidagem são uma forma desses marginais com diploma amedrontarem a população, deixando bem claro que são eles que estão no poder e a eles que a população deve se render, aceitando um futuro onde a maioria de 99,999999% não terão família, emprego, moradia, cultura, lazer, nada disso, mas apenas uma pedra de crack, um baile funk, um aplicativo de celular e ONGs de aborto e troca de sexo.

Concluindo, toda a minha solidariedade às vítimas de Santa Catarina, aos policiais do Rio de Janeiro, especialmente ao falecido e à sua família, e aos passageiros do metrô atingidos pelos tiros da bandidagem. Quanto aos bandidos, já vão tarde. Uma pena que não levem junto seus defensores.

1 comentário em “Sobre a operação no Jacarezinho

Deixe uma resposta