A vontade de dar o Fiuk

Enfim, parece que o fundo do poço está próximo, porém não fiquem muito animados no país em que a narrativa editada pelas redes sociais e por uma emissora de televisão como a Globo, tudo é possível, talvez estejamos apenas entrando numa nova fase, numa era das trevas pós-moderna.

O BBB 21 parece um zoológico humano dirigido por um sociólogo nazista fazendo experiências a mando de Hitler, talvez testando, nos encontros entre os chimpanzés amestrados participantes desse zoológico humano, uma experiência antropológica que dê resultado para lá de duvidoso.

O belo beijo entre aquele tal de Fiuk e um tal de Gilberto, ambos nulos e mostrando suas bundas feias para milhões de pessoas que, pasmem!, ainda pagam para assistir esse espetáculo deprimente, é de um constrangimento que choca a qualquer pessoa que seja dono de todas suas faculdades mentais.

Esteticamente é algo horroroso, moralmente é algo totalmente deplorável, como imposição de uma nova regra de costumes de uma sociedade ao mesmo tempo assexuada e sodomita e cheira a uma revolução de comportamentos que causa vergonha a qualquer cidadão medianamente colocado na sociedade.

Eu sou a favor da censura, sim, não existe nenhum tipo de controle de quem está do outro lado da tela. Foi assim que proibiram, acertadamente, comerciais de cigarros associando esse mortal produto até a prática de esportes radicais, nada mais antagônico e contraprodutivo.

Toda a sociedade necessita de censura prévia, pois no momento em que entidades e associações se intrometem nas vontades e gostos de todos, deveríamos nos preocupar com o fato que essas imagens entram na casas de milhões sem nenhum tipo de censura, além do espetáculo grotesco temos a exposição dessa situação tão defendida pelos modernos e antenados a crianças que estão aprendendo a balbuciar as primeiras palavras.

Se ambos, Gilberto e Fiuk, estão afim de pcopular, meter, trepar, foder, fazer amor isso deveria pertencer ao universo íntimo de ambos, é assim em pelo menos 90% ou mais das pessoas que eu conheço, inclusive as que optaram de assumir a condição de gays, pois ser homossexual ou bissexual não é um passaporte aberto para a promiscuidade e para exibição de nudez e de atos íntimos.

Depois não venha me perguntar porque o cidadão comum, as pessoas simples que trabalham de 12 a 4 horas por dia se refugiam nos discursos do Malafaia, em outros picaretas neopentecostais e também no discurso moralista de Bolsonaro e da direita brasileira. Se eles fazem isso com quase toda a certeza boa parte da culpa é de vocês mesmos.

Gente que se diz antenada, habitantes de bolhas, não raro filhinhos de papai de New Left sustentados por papais ladrões da direita, parasitas de algum cargo nomeado ou pendurados em ONGs de think tanks ligadas ao ocidentalismo precarizado do Norte, são os principais responsáveis pela perpetuação dessa direita canalha no poder do Brasil.

Oremos.

1 comentário em “A vontade de dar o Fiuk

Deixe uma resposta