O Pentágono classifica os católicos como extremistas

Como resultado da irrupção de manifestantes no Capitólio de Washington, em 6 de janeiro de 2021, o Pentágono ordenou a realização de um estudo sobre movimentos extremistas que poderiam ter infiltrado elementos nas Forças Armadas dos Estados Unidos. Agora, um manual que identifica 21 grupos considerados supremacistas acaba de ser distribuído ao Exército dos EUA. .

Numa apresentação audiovisual da DARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa ou Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa), apresentada no seminário realizado no início de março pelo novo Secretário de Defesa, General Lloyd Austin, um esquema apresenta os principais grupos extremistas que as forças armadas dos Estados Unidos teriam que enfrentar hoje: a Klu Klux Klan, o Hamas palestino, a al-Qaeda, a seita Identidade Cristã e … os católicos.

Em 24 de março de 2021, o advogado Michael Berry, assessor jurídico da associação First Liberty, afirmou em uma audiência perante o Comitê da Câmara das Forças Armadas que o Pentágono acredita que as posições da Igreja Católica sobre questões de gênero são inaceitáveis, liderando o Pentágono para concluir que os católicos podem ser chamados a cometer ataques contra as forças armadas dos Estados Unidos, uma vez que decidiram aceitar pessoas trans em suas fileiras.

No entanto, a realidade é que a Igreja Católica não tem problemas com os transexuais, mas apenas com o que é conhecido hoje por “ideologia de gênero”.

O atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, é católico, mas rompe com a maioria eclesiástica americana.

Publicado em Rede Voltaire em 01.04.2021. Tradução JORNAL PURO SANGUE.

Deixe uma resposta