“Mendoexit”: A proposta de separação da província Mendoza da Argentina

O ex-governador provincial Alfredo Cornejo e atual presidente do partido União Cívica Radical (UCR) ratificou a ideia separatista e afirmou que Mendoza deve “considerar seriamente sua autonomia”, argumentando que o Governo Nacional busca “prejudicá-la”.

Após as declarações do ex-governador daquela província, o deputado José Luis Ramón convocará uma consulta popular para que os eleitores decidam nas próximas eleições se querem ou não a separação de Mendoza da Argentina.

Ramón assegurou através de um comunicado: “Pretendemos finalmente ter a opinião do povo da nossa província a respeito das ideias separatistas de Cornejo e companhia”. E acrescentou: “Nossa força está convencida de que ser mendozino é uma identidade em si, mas que está contida na base do patriotismo nacional. Entendemos que é preciso acabar com essa discussão que alimenta fissuras e fantasias absurdas”.

Ramón pede que nas próximas eleições provinciais se vote entre duas opções: “Ser argentino” e “Deixar de ser”. E observou: “quem deve decidir se Mendoza é argentino ou não, deve ser o povo de Mendoza”. Os donos da província têm que deixar de falar pelos cidadãos comuns e enfrentar a decisão do povo soberano ”, concluiu, referindo-se ao chefe da UCR.

A proposta surgiu após as declarações à imprensa do deputado Alfredo Cornejo que ratificou a sua ideia de independência: “a ideia de se separar do país faz cada vez mais sentido”, disse.

Apesar da intenção expressa pelo deputado Ramón, sua proposta foi celebrada nas redes sociais pelos promotores da balcanização territorial, sempre buscadas por potências estrangeiras. Considerar a fragmentação da Nação como “uma opção”, ao invés de repudiá-la, pode acabar sendo, na prática, uma forma de contribuir para ela por meio de sua naturalização.

Publicado em KontraInfo em 30.03.2021. Tradução JORNAL PURO SANGUE.

Deixe uma resposta