Ambientalismo, ódio aos latinos, controle populacional e Fundação Ford

Por Roberto Nishiki

Já ouviram falar de uma instituição americana chamada “Center for the Study of Democratic Institutions”? Ela funcionou até 1977 e seu principal doador era a Fundação Ford (a mesma que financia o movimento negro identitário e dá dinheiro para organizações como a Geledes).

O seu principal diretor era John Tanton, supremacista branco e maior voz nos EUA contra a imigração e crescimento populacional dos latino-americanos. Ele não gostava especificamente dos latinos. Via com simpatia a imigração de asiáticos e os negros, para ele, nem fediam nem cheiravam, porque ele sabia que o número de negros nunca ultrapassaria o tradicional 10%-13%.

Ele foi o fundador da “Federation for the American Immigration Reform” e co-fundador da “Center for Immigration Studies”. Também foi fundador da organização eugênica “Society for Genetic Education”. Foi colaborador da “Planned Parenthood” da feminista eugenista Margaret Sanger e da família Gates, Ford e Rockefeller (que tinha como principal objetivo o aborto de fetos de mulheres não-germânicas).

Basicamente todas essas organizações tinham como finalidade o controle populacional (principalmente entre latinos) e a restrição da imigração para os EUA (principalmente de latinos). A principal preocupação de John Tanton era o declínio da população branca americana e o crescimento da população latina.

Pois bem, todas essas instituições às quais Tanton estava ligado contavam também com a colaboração dos pais do ambientalismo moderno ao lado de Julian Huxley (fundador da organização ambientalista WWF e primero chefão da Unesco), Maurice Strong e o ex-assessor de Barack Obama, John P Holdren: o casal Paul e Anne Ehrlich. Todos ligados a organizações eugênicas e de supremacia anglo-germânica.

Anne Ehrlich foi parte da diretoria da “Federation for American Immigration Reform” e, junto de Tanton e seu marido fundadores da organização “Zero Population Growth”, a qual mudou de nome em 2002 para “Population Connection”. Todas essas organizações tinham como principal preocupação o crescimento populacional no Terceiro Mundo, principalmente entre a população latina, que sempre foi vista como uma ameaça para os Estados Unidos.

Bonito, não?

Deixe uma resposta