Uma história esquecida

Neste Dia do professor, vamos relembrar da história de heroísmo de uma educadora que deu sua vida pelos seus alunos.

Heley de Abreu Silva Batista nasceu em Montes Claros, MG, em 1974. Ainda bem jovem se formou em pedagogia se especializando em educação especial, modalidade que procura incluir crianças com deficiência.

Apaixonada pela docência, desde muito pequena sonhava em dar aulas e mudar a vida das pessoas.

Mas a professora seria muito mais do que uma educadora. O destino lhe reservou um papel crucial na vida de seus estudantes.

Na manhã de 5 de outubro de 2017, poucos dias antes do Dia dos professores, na creche “Gente Inocente” em Janaúba, o vigia noturno da instituição invadiu a escola, no meio do expediente, com um recipiente com álcool e um isqueiro e colocou fogo nas instalações do colégio.

No meio das chamas o algoz entrou na sala onde Heley lecionava para fazer mais vítimas. Mas ele não contava com a coragem da professora:

Heley e mais duas funcionárias, Jéssica Morgana e Geni Oliveira, começaram a salvar as crianças passando os pequenos pela janela da sala.

O criminoso, ao ver o que estava ocorrendo, tentou espalhar o fogo dentro da sala de Heley. Desesperada e corajosamente ela entrou em luta corporal com o vigia.

O incendiário jogou álcool e colocou fogo na professora. Mas mesmo ardendo em chamas Heley conseguiu impedir que ele colocasse incendiasse o resto do local. Ela ainda ajudou a retirar mais crianças, antes de cair ao chão desmaiada e ferida pelas queimaduras de terceiro grau que tomaram 90% de seu corpo.

A educadora, naquele momento, fez a coisa mais bela e honrosa da vida de um professor. Garantiu o futuro de seus alunos, mesmo que tenha dado a própria vida pra isso.

Há pessoas que entram para a história por grandes ações tomadas em seu próprio cotidiano. Heley é uma delas, essa guerreira ficará para sempre na história como a heroína de Janaúba.

Feliz dia dos professores, Heley!

Por Joel Paviotti

Deixe uma resposta